sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

guia
 
Não basta silenciar a mente. Desligar o computador. Desconectar-se do smartphone. Vender a televisão. Sentar e meditar. Praticar yoga. Orar, fazer práticas espirituais. Caminhar, mergulhar, fazer voo livre, viajar de mochilão por aí...
Tudo isso, e talvez nada disso, seja o caminho. Qual caminho? O caminho para abrir um espaço entre a incessante cascata de pensamentos aleatórios, neuras aprendidas e medos e emoções que ecoam do seu passado – recente e remoto. O que então, é necessário? Desistência, entregar a vontade de saber, de querer dominar um processo que não pode ser dominado...
Você não é a sua mente, nem o que você sente
Talvez você “escute” e “veja” os seus pensamentos, acreditando que tudo o que você pensa e vê é uma verdade. Vê uma reportagem sobre alguém que eles dizem que é um ser desprezível, e você acredita. Ouve dizer que o planeta está acabando, e acredita. Lembra-se das dores do passado e justifica seus problemas atuais pelos traumas passados. Conquista um lugar no mundo e crê que foi você quem teve o mérito de chegar neste lugar. Sente alegria, prazer, tristeza e raiva, e tem certeza absoluta que alguém ou algo fora de você é o responsável pelas suas emoções.
Pensamentos são ecos aprendidos. Carregam informações e energia, que influenciam o seu corpo, de acordo com o significado que você dá a eles. Um bandido sorrirá ao ouvir uma notícia sobre um assalto bem-sucedido. Se você fosse o bandido, estaria feliz. Mas se você é o assaltado, estará triste, com medo, com raiva. A mente humana pode escolher qual significado dar em qualquer situação do mundo, em qualquer acontecimento do universo. Emoções são reações químicas em seu corpo. Que seguem a escolha que você deu diante dos acontecimentos da vida.
Dá para fugir da dor, da tristeza? Devemos evitar a alegria e o prazer? Não, não temos que fazer nada, absolutamente nada. Dor e tristeza, alegria e prazer são como ondas, que nos atingem, e se vão... desde que a gente permita. Uma mente em paz, pode observar a dor e o prazer, e só. E se a mente não está em paz? Pode observar a confusão, e perceber: estou confusa! Estou em conflito! Mas se você pode observar que existe “uma mente em confusão”, logo pode saber que você é algo além desta “mente em confusão”. Que você não é a “mente” é uma conclusão absolutamente lógica e real.
A voz do coração vem de um outro lugar
Antes de “ouvirmos” a voz do coração, este assunto pode parecer conversa sobre os habitantes de Marte. E assim será. É preciso fazer um movimento consciente para buscar a paz mental. Abrir uma clareira na floresta dos pensamentos aleatórios. Querer, conscientemente, parar de acreditar nos próprios pensamentos e parar de dar muita importância às próprias emoções.  É preciso querer e tomar uma atitude para sair do jogo social, que usa todos os instrumentos para mantê-lo hipnotizado, com suas emoções dominadas, seus desejos domesticados e influenciados por tudo o que é falado e mostrado pelas diversas mídias que atuam sobre nós. Assim como não é possível ter um bom preparo físico sem exercício, também é impossível ter paz mental sem práticas que levem você a ter foco.
Quando você começar a treinar, cedo ou tarde se surpreenderá com a sua capacidade de silenciar. Ou perceberá frases, visões, sons, sensações “diferentes” daquelas provocadas pela mente linear, que funciona através de sinapses: um símbolo se junta a outro, e a outro e assim por diante, criando um significado. Começar a perceber estas sensações “diferentes” não o torna melhor nem pior que ninguém. Todos possuem acesso à intuição, e é só um canal novo a ser descoberto. Aos poucos, você perceberá algo assim: sua mente diz uma coisa, e sua intuição diz outra. E quando você segue a sua intuição, percebe que ocorrem fatos inusitados, significativos, que não ocorreriam caso você seguisse sua mente racional e linear. Por que isso ocorre? Por uma razão simples: a nossa mente racional é abastecida por conceitos, crenças e teorias de outras pessoas. Nossos pais, professores, vizinhos, amigos, chefes, colegas de trabalho e mídia como um todo vão acrescentando informações no nosso HD interno. Nos identificamos com algumas informações e com outras, não. Porém, quando tentamos resolver um problema ou tomar uma decisão usando somente a mente racional, iremos buscar em nossos arquivos e fatalmente chegaremos a algum conceito que foi ensinado por alguém. Talvez este conceito tenha servido para esta pessoa, ou às vezes, nem isso. E nós seguimos o conceito. Para situações como ganhar mais dinheiro, encontrar um novo amor, abrir uma nova frente de trabalho, mudar-se, buscar um caminho espiritual, e tantas outras questões que nos chegam a todo instante, geralmente perdemos tempo, energia e paciência buscando soluções mentais, que não levam a nenhum resultado ou, pelo menos, resultados insatisfatórios.
A intuição convida você a se entregar. Parar de querer saber o resultado. Parar de querer saber exatamente como chegar a algum lugar. Você pode e deve saber onde quer ir, porém, como será esta jornada, não cabe à sua mente linear saber. Você quer uma mulher que será sua companheira amada? Talvez sua mente diga para buscar em lugares que você frequenta e gosta, como a sua igreja, ou o seu clube, quem sabe no grupo de amigos... Mas talvez, a sua intuição diga: vá ao supermercado! Agora! Você quer mais dinheiro, e sua mente diz: trabalhe mais! Lance mais produtos! Atenda mais pessoas! Porém, sua intuição diz: tire uma semana de férias na praia... relaxe! E lá, vem uma ideia que irá revolucionar a sua vida, o fará às vezes mudar totalmente seu caminho...
Há um caminho para a sua vida. Pode acreditar nisso. Mas esse caminho é a sua jornada. Seu marido ou esposa não podem saber sobre ele. Nem seus filhos. Nem seus mestres, professores, eu ou ninguém. O que dizer da mídia e do sistema de mercado que deseja que você faça, ouça, veja e compre somente o que eles induzem? Há um caminho para você encontrar alguém especial. Para fazer um trabalho que o preenche. Para estar em paz consigo. Para sentir-se protegido e seguro. Neste caminho, a entrega a algo Maior que o guia, é o requisito básico. A mente racional servirá para pesar prós e contras, para protegê-lo da ingenuidade infantil ou fantasia encantada, que muitas vezes as pessoas intuitivas caem. Mas a mente racional deverá agir como servidora da intuição. Assim, o caminho se apresentará com clareza. No momento certo. E você saberá dar um passo, após o outro. Percebendo o ritmo natural dos acontecimentos. Viver através da intuição é divertido. Dá prazer. Resultados surpreendentes. Um friozinho na barriga. Leveza mental... E viver assim não é nada mal, não é mesmo?
 
Alex Possato.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

cantos paulistanos: O importante é o hoje.

cantos paulistanos: O importante é o hoje.Se concentre mais em você, viva o seu hoje, o seu agora, olhe pra você e se pergunte como você está... Não adianta nada você tentar (prever) o seu futuro, não adianta nada você desfazer de algo que ainda te faz feliz. Não existem certezas mais claras, do que aquelas que são ditas em silencio em seu coração. Não importa como, quando ou aonde, mas sim se você já tem a peça principal para fazer com que isto aconteça. Você precisa parar com essa impaciência, ansiedade e impulsividade você já percebeu que sempre que age assim, nada dá certo e é só frustração. Então, pare de correr, desacelera nessa curva perigosa e aprecia mais este "passeio." Se você já começou... agora termina, conclui, não volte para trás faltando tão pouco pra você chegar, (estar lá). Vão vir dias de sol, dias de chuvas, dias calmos, dias agitados, pessoas sendo colocadas em sua frente, em tua direção para te "atrapalhar", mesmo assim não pare, continua... Como eu disse viva o seu agora! Ontem já passou, o que aconteceu já aconteceu, se foi bom, ótimo... ficaram lindas lembranças, se foi ruim bom também, você aprenderá com grandes lições. O seu amanha dependerá do teu agora, então se foca nisso... Deposite a sua energia em cima do que está te acontecendo, viva esse momento... sem planos, sem (antecipação). Eu aprendi uma coisa que querendo ou não... só irá acontecer o que tiver que acontecer. Tentar adivinhar, se apressar ou até mesmo recuar... não mudarão os fatos! De alguma forma tudo irá acontecer, cedo ou tarde... e se não acontecer é porque simplesmente não estava predestinado à você!

O importante é o Hoje



Se concentre mais em você, viva o seu hoje, o seu agora, olhe pra você e se pergunte como você está... Não adianta nada você tentar (prever) o seu futuro, não adianta nada você desfazer de algo que ainda te faz feliz. Não existem certezas mais claras, do que aquelas que são ditas em silencio em seu coração. Não importa como, quando ou aonde, mas sim se você já tem a peça principal para fazer com que isto aconteça. Você precisa parar com essa impaciência, ansiedade e impulsividade você já percebeu que sempre que age assim, nada dá certo e é só frustração. Então, pare de correr, desacelera nessa curva perigosa e aprecia mais este "passeio." Se você já começou... agora termina, conclui, não volte para trás faltando tão pouco pra você chegar, (estar lá). Vão vir dias de sol, dias de chuvas, dias calmos, dias agitados, pessoas sendo colocadas em sua frente, em tua direção para te "atrapalhar", mesmo assim não pare, continua... Como eu disse viva o seu agora! Ontem já passou, o que aconteceu já aconteceu, se foi bom, ótimo... ficaram lindas lembranças, se foi ruim bom também, você aprenderá com grandes lições. O seu amanha dependerá do teu agora, então se foca nisso... Deposite a sua energia em cima do que está te acontecendo, viva esse momento... sem planos, sem (antecipação). Eu aprendi uma coisa que querendo ou não... só irá acontecer o que tiver que acontecer. Tentar adivinhar, se apressar ou até mesmo recuar... não mudarão os fatos! De alguma forma tudo irá acontecer, cedo ou tarde... e se não acontecer é porque simplesmente não estava predestinado à você!

Thaís Fernanda

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Auto - Motivação, Minha forma de motivar.



Auto - Motivação, Minha forma de motivar.


Auto - Motivação,
Minha forma de motivar.

Sonhei com muitas coisas enquanto crescia, a cada nascer do sol eu abria a janela e perguntava:
Hoje será o dia das realizações? Depois seguia meu caminho, trabalhava, namorava e dormia e sonhava e outro dia surgia junto com a mesma pergunta, Hoje é o dia das realizações?
depois de um longo tempo percebi que tinha que fazer muito mais que acordar e perguntar,
Precisava da ação, da busca, do envolvimento e do desejo.
Aos poucos comecei a escrever o que eu desejava realizar, comecei a fazer uma lista com cinco ou seis coisas que eu pretendia realizar no semestre.
Foi como um sonho realizado que percebi quantas coisas eu tinha conseguido naquele semestre.
Eu me espantei que estava fazendo acontecer, que minha vida não era apenas sonho, existia conquistas!
Nossa, para minha surpresa eu estava alcançando meus objetivos, só que eu não percebia.
As coisas simplesmente surgiam atingia o que era previsto, mas não sentia.
Agora todos semestre eu olhava minha lista e me sinto realizado, de cinco ou seis planos que eu fazia, três, quatro deles eu alcançava. Na verdade sempre foi assim, mas, como eu não tinha controle, as coisas simplesmente se tornavam reais, surgiam e seguiam em frente, agora não eu me auto motivo, ao ver o que eu consigo todos os anos.
FAÇA você, tente esta experiencia, coloque em uma folha varias coisas que você pretende alcançar no período de 6 meses e então confira quantas realizações você alcançou, é uma forma de auto motivar-se, pois a cada conquista gera motivação, ou energia que lhe dá força para novas conquistas.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014


                                  O menino jogador

                                                                                O meio


Symon estava rodeado por policiais que lhe dava varias coronhadas com os canos dos revolveres, seu rosto estava coberto de sangue, seus olhos fechados de tanta porrada. Um policial aponta a arma para seus olhos e atira. Symon acorda banhado de suor, aos soluços ele se levanta e se lava o relógio aponta 3 horas da madrugada, caminha até a janela do seu apartamento e olha a calmaria da rua, o ar gelado lhe retira os últimos resquícios do pesadelo tão recorrente. Permanece apoiado no parapeito até as 07h00min horas, então entra, toma banho e se prepara, é mais um dia de treino.
Symon chega ao clube 30 minutos depois e é avisado que deveria ir à sala do chefe, Ronni. Sentou-se e enquanto aguardava, folheou umas revistas até deter seus olhos em um anuncio que lhe chamou a atenção. “hipnose, regressão” ficou tão compenetrado que nem percebeu a presença da secretaria até que ela gentilmente lhe tocou o ombro.
Desculpe com licença seu Symon, bom dia, o chefe esta pedindo para você entrar, seu sorriso encantador fez com que Symon saísse de seu devaneio e lembrar-se do por que estar ali, fora chamado para falar com o chefe Ronny, entrou e foi recebido por um longo aperto de mão e uma boca escancarada cheia de dentes amarelados pelo tabaco.
        Como vai Symon, disse lhe Ronny.
 Sacudindo os ombros respondeu vou indo foi tudo que disse Symon.
Ótimo disse lhe Ronny, bem Symon o motivo de chama-lo aqui, é bem, você sabe não estamos a mil maravilhas aqui no clube e bem, após uma pausa acrescentou é que estamos passando por um período de reformulação, desculpe Symon, falou Ronny totalmente constrangido.
Estava despedindo uma lenda, um craque que foi disputadíssimo pelos maiores clubes da Europa a menos de cinco anos. Bem, era o certo a fazer, pensou o cara só deu prejuízo nos dois anos, ele pirou que porra, pensou.
Symon sorriu e disse tudo bem, vou pegar minhas coisas e avisar o treinador. Ele já sabe, completou Ronni. Olha Symon, se tiver algo que eu possa fazer, me diga sim?
Não estou tranquilo, respondeu Symon.
No ultimo ano era tudo que falava Symon, para qualquer assunto, nunca se abria, nem com o técnico nem com seus companheiros de campo.
 Ronni se despediu, com um nó na garganta e os olhos cheios de lagrimas, afinal era amante do futebol, dos grandes jogadores e Symon tinha sido um desses mega craques em que ele teve a oportunidade de conhecer e trabalhar pessoalmente, era um cara que respeitava. Mesmo Symon estando totalmente fora de seu juízo, era, ou melhor, foi um dos maiores, pensou Ronni.
Symon voltou sua atenção para o anuncio, sua demissão era prevista, Symon até sentiu-se aliviado por ter resolvido aquela situação.
Foi até ao armário e retirou seus pertences dali colocando em uma mochila. Em casa retirou o anuncio do bolso e discou o numero, uma voz metálica solicitou que deixasse seu recado que entraria em contato.
Tomou um banho, colocou uma bermuda, camiseta e um chinelo, foi até ao bar e serviu-se de um uísque duplo com gelo, sentou-se e olhou ao redor, estava tudo em seu lugar, graças à mulher que cuidava da casa, Lourdes, ela era maravilhosa cuidava de tudo não perguntava nada. Bastava deixar seu dinheiro em cima da geladeira e ela cuidava de tudo.
Symon pensou o quanto sua vida estava desestruturada, confusa. Precisava saber e aquela terapia de regressão parecia-lhe que iria lhe dar respostas para sua angustia.
Symon queria saber mais a seu respeito, tinha um período que lhe faltava na sua mente. Simplesmente desapareceu de sua historia, não lembrava mesmo, um terapeuta lhe disse que era amnesia devido aos traumas da infância. Symon queria se encontrar.
No dia seguinte Symon percorreu um longo corredor claustrofóbico de um prédio medieval e desbotado, precisava encontrar o apartamento 4812. Encontrou e bateu na porta, ela se abriu e um senhor meio grisalho lhe recebeu com um sorriso e a mão estendida, Symon, certo. Sim lhe respondeu, sou Pietro, vamos fique a vontade.
Symon entrou e sentou-se no sofá elegante que lhe foi oferecido, agua? Café? Perguntou lhe Pietro, não obrigado, respondeu Symon com as mãos suadas e com o olhar assustado. Por que você quer fazer regressão Symon? É que, eu não sei muito a meu respeito, disse Symon.


good feeling

Adam Pash Editor-in-Chief of Lifehacker https://www.ebanx.com/br/ebanx-dollar-card?referral_code=FB4699887J&referral_name=Mario  Mario Souza na Doctoralia

Pesquisar este blog

Páginas

O outro que há em mim é você.!

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
Uso esse blog para compartilhar minhas reflexoes assim como artigos de interesse em geral. Tratar de assuntos ligado a saúde biopsicossocial.

patrocinadores

 Mario Souza na Doctoralia