sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

DOIDAS E SANTAS


DOIDAS E SANTAS

Estou no começo do meu desespero/ e só vejo dois caminhos:/ ou viro doida ou santa."
 São versos de Adélia Prado, retirados do poema "A serenata".

 Narra a inquietude de uma mulher que imagina que mais cedo ou mais tarde um homem virá arrebatá-la, logo ela que está envelhecendo e está tomada pela indecisão - não sabe como receber um novo amor não dispondo mais de juventude. E encerra: "De que modo you abrir a janela, se não for doida? Como a fecharei, se não for santa?' Adélia é uma poeta danada de boa. E perspicaz. Como pode uma mulher buscar uma definição exata para si mesma estando em plena meia-idade, depois de já ter trilhado uma longa estrada onde encontrou alegrias e desilusões, e tendo ainda mais estrada pela frente? Se ela tiver coragem de passar por mais alegrias e desilusões - e a gente sabe como as desilusões devastam - terá que ser meio doida. Se preferir se abster de emoções fortes e apaziguar seu coração, então a santidade é a opção. Eu nem preciso dizer o que penso sobre isso, preciso? Mas vamos lá. Pra começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa. Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe??? Nem ela, caríssimos, nem ela. Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações, que desanimou. Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá, que deixou de ter vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores, que passou a se contentar com dias medíocres. Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais. Santa mesmo, só Nossa Senhora, mas, cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (Não se escandalize, não me mande e-mails, estou brin-can-do.) Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar "the big one", aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir, às vezes, que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo para o alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha. Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três destas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascinante. Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Ultima Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra.

sábado, 15 de janeiro de 2011

"Quantas vezes você já sorriu para disfarçar uma lagrima teimosa?

"Quantas vezes você já sorriu
para disfarçar uma lágrima teimosa?
Quantas vezes quis gritar
e sufocou o pranto?
Quantas vezes quis sair correndo
de algum lugar e ficou, por educação,
respeito ou medo?
Quantas vezes você esqueceu
seus problemas e com um sorriso
no rosto foi ajudar
quem precisava de você?
Quantas vezes tudo o que você desejou
era apenas um abraço, um consolo,
uma palavra amiga
e só recebeu ingratidão?
Quantos passos foram necessários
para chegar até onde você chegou?
Quantos de seus amigos
sabem olhar pra você e perceber
que você não esta bem?
E quantos desses "amigos"
se importam em te ajudar?
Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer,
vestir as suas dores ninguém quer...
O que posso dizer é que agarre as pessoas que você ama e que te amam também..
aproveite a companhia delas.
Hoje, Amigos de verdade são jóias raras.
Não deixe pra amanhã para mostrar a eles
o quanto são importantes para você."

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

DOIS MINUTOS DE SILENCIO.

Não me canso de admirar a vontade brasileira em que ao ver nosso semelhante em momentos de aflição de desespero, esquece imediatamente das diferenças bairristas e coloca em primeiro plano a ajuda, o servir em prol do seu irmão, seu conterrâneo e cria essa capacidade de ajudar o próximo, mesmo sem quase nada possuir, ainda assim tira uma parte para quem precisa.
Com a chuva que deus me perdoe o termo, castiga os estados e mostram a precariedade dos locais em que vivemos os desastres, as inundações que geram calamidade, os morros que desabam em cima desse povo, que escolheu a alegria como forma de vida. Que abriu mão do direito a morar em seu estado para tentar a “sorte” em outro local. Que mesmo nos momentos difíceis, sempre tem um sorriso, um abraço para quem chega.
 Enquanto os nossos governantes tomam champanhe importada, comem caviar, dando a costa para o povo, esses mesmos eleitores que votaram maciçamente em um candidato por ele “dizer que pior não fica”. Sente na pele o abandono das autoridades eleitas.
Sem entender por que o castigo, o sortilégio, não percebe que aquele em quem votou não é mais o mesmo que lhe pediu voto, que lhe abraçou e sorriu para seus filhos.
Dois minutos de silencio se faz necessário nesses momentos de turbulência,
 Um minuto pelas vitimas, por aqueles que perderam filhos, pais e amigos, suas casas, seus moveis e suas esperanças, pela falta do direito de viver e criar seus filhos de forma digna,
 Outro minuto por nossas escolhas ou falta dela, por não saber votar ou votar sem saber, por acreditar em um sujeito que diz “pior que esta não fica” e torná-lo o político mais votado da história. Aqui presto meu pesar por nosso povo e nossas escolhas.

sábado, 8 de janeiro de 2011

pense nisso.

                                                           Pense Nisso
Eram aproximadamente 22:00 horas quando um jovem começou a se dirigir para casa.
Sentado no seu carro, ele começou a pedir:
- 'Deus! Se ainda falas com as pessoas, fale comigo.
Eu irei ouvi-lo.
Farei tudo para obdecê-lo'
Enquanto dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito estranho:
- 'Pare e compre um galão de leite'.
Ele balançou a cabeça e falou alto:
- 'Deus? É o Senhor?'.
Ele não obteve resposta e continuou dirigindo-se para casa.
Porém, novamente, surgiu o pensamento:
- 'Compre um galão de leite'.
'Muito bem, Deus! No caso de ser o Senhor, eu comprarei o leite'.
Isso não parece ser um teste de obediência muito difícil...
Ele poderia também usar o leite.
O jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa.
Quando ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido:
- 'Vire naquela rua'.
Isso é loucura...
- pensou
- e, passou direto pelo retorno.
Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima rua.
No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua.
Meio brincalão ele falou alto
- 'Muito bem, Deus. Eu farei'.
Ele passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar.
Ele brecou e olhou em volta.
Era uma área mista de comércio e residência.
Não era a melhor área, mas também não era a pior da vizinhança.
Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das casas estavam
escuras, como se as pessoas já tivessem ido dormir, exceto uma do outro
lado que estava acesa.
Novamente, ele sentiu algo:
- 'Vá e dê o leite para as pessoas que estão naquela casa do outro lado da rua'.
O jovem olhou a casa.
Ele começou a abrir a porta mas voltou a sentar-se. -' Senhor, isso é loucura.
Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?'.
Mais uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite. Finalmente, ele abriu a porta...
- ' Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei o leite àquelas pessoas.
Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa louca, muito bem.
Eu quero ser obediente.
Acho que isso vai contar para alguma coisa, contudo, se eles não responderem
imediatamente, eu vou embora daqui'.
Ele atravessou a rua e tocou a campainha.
Ele pôde ouvir um barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma criança.
A voz de um homem soou alto:
- 'Quem está aí? O que você quer?'
A porta abriu-se antes que o jovem pudesse fugir.
Em pé, estava um homem vestido de jeans e camiseta.
Ele tinha um olhar estranho e não parecia feliz em ver um desconhecido em pe
na sua soleira.
- 'O que é?'.
O jovem entregou-lhe o galão de leite.
- 'Comprei isto para vocês'.
O homem pegou o leite e correu para dentrofalando alto.
Depois, uma mulher passou pelo corredor carregando o leite e foi para a cozinha.
O homem a seguia segurando nos braços uma criança que chorava.
Lágrimas corriam pela face do homem e, ele começou a falar, meio soluçando:
- 'Nós oramos.
Tínhamos muitas contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado.
Não tínhamos mais leite para o nosso bebê.
Apenas orei e pedi a Deus que me mostrasse uma maneira de conseguir leite.
Sua esposa gritou lá da cozinha:
- 'Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco de leite...
Você é um anjo?'
O jovem pegou a sua carteira e tirou todo dinheiro que havia nela e
colocou-o na mão do homem.
Ele voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua face.
Ele teve certeza que Deus ainda responde aos verdadeiros pedidos.
:


sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O QUE SENTIMOS E O QUE DESEJAMOS.

Por vezes nos sentimos impotentes diante das próprias limitações.
Gostaríamos de fazer tanta coisa, de mudar as situações que nos infelicitam e fazem sofrer aqueles que nos rodeiam, mas não logramos sequer dar o primeiro passo. Os problemas do mundo são tantos que temos a impressão de que não há nada que possamos fazer, considerando a nossa pequenez.

Talvez você também já tenha pensado em desistir do bem e deixar que as coisas sigam ao sabor dos ventos. Talvez você desejasse ser tanta coisa e muito pouco consiga ser, mas mesmo assim, nunca desista do bem.

Há dias em que você desejaria ser um grande e produtivo pomar. Ante a dificuldade de consegui-lo, torne-se uma árvore frondosa e acolhedora, que produza flores e frutos.

Por vezes, você gostaria de ser uma fonte cristalina. Não o logrando, transforme-se num vaso de água fresca e aplaque a sede de alguém.

Você desejaria ser uma montanha altaneira a apresentar horizontes infinitos ao homem que a conquistasse. Diante da impossibilidade, seja um degrau humilde para a ascensão de quem ambiciona a glória estelar.

Você pretenderia ter um sol emboscado no coração, a fim de clarear os viajantes da noite. Em face do impedimento, acenda uma lâmpada de esperança no caminho de um desalentado.

Você almejaria ser um jardim de bênçãos para o enriquecimento da paisagem dos homens. Não o conseguindo, converta-se numa flor, abençoando com seu perfume, a estrada dos desesperados.

Você ambicionava as gemas preciosas do seio generoso da terra, a fim de diminuir a dor e a miséria dos caminhantes da aflição. Não as possuindo, distenda a palavra de renovação como pérola de inigualável valor, só erguendo quem se recusa a levantar para prosseguir na luta.

Você pensava em escrever poemas de engrandecimento à vida, enriquecendo as mentes e os corações com painéis de luz e sabedoria. Na impossibilidade de fazê-lo por lhe faltarem os requisitos essenciais, redija uma carta singela com expressões de amor, a quem se encontra na curva da queda e perdeu a confiança na afeição dos outros.

Você esperava a melhoria das criaturas e do mundo. Decepcionada por não poder alcançar essa difícil meta, erija no altar dos sentimentos um santuário à fraternidade e ao dever superior.

Não desista do bem, não desfaleça no bem, não duvide da vitória do bem.
Agasalhe-o no imo da alma e seja uma expressão do bem em triunfo, mesmo convertido num grão de mostarda que, todavia, produzirá estímulos vigorosos para o bem de todos.

Seja qual for a situação, jamais desista de fazer o bem. Jamais duvide da força do bem, porque o mal não tem vida própria, ele só se insinua quando o bem não está presente.

O mal, assim como a sombra, bate em retirada aos primeiros raios de luz.

Faça o bem em toda parte com as mãos e com o coração, orando e esclarecendo, a fim de que o trabalho da verdade fulgure em teus braços como estrelas luminescentes em forma de mãos.
(Autor desconhecido).

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

NA BEIRA DO CAIS

                         Na beira do cais

O vento me acompanhava soprando suas historias,
 A brisa teimava em espalhar o aroma de sal do mar,
 O sol nos acompanhava lá de cima a nos vigiar.
Daquele cais dava para avistar,
Um barquinho brigando com o mar para se aproximar,
Mas era arrastado de volta com a força do mar,
Em sua luta incessante ele deveria ganhar,
Para outro dia velejar do cais ao mar.

good feeling

Adam Pash Editor-in-Chief of Lifehacker https://www.ebanx.com/br/ebanx-dollar-card?referral_code=FB4699887J&referral_name=Mario  Mario Souza na Doctoralia

Pesquisar este blog

Páginas

O outro que há em mim é você.!

Minha foto
São Paulo, São Paulo, Brazil
Uso esse blog para compartilhar minhas reflexoes assim como artigos de interesse em geral. Tratar de assuntos ligado a saúde biopsicossocial.

patrocinadores

 Mario Souza na Doctoralia